14 outubro 2013

Pague Quanto Acha que Vale

Quanto vale uma boa história?

Difícil dizer, né? Principalmente para quem adora uma pechincha...

Mas em várias estações do metrô de São Paulo, é você quem determina o preço dos livros expostos. Sem negociação, sem barganha, sem vendedor.


Na pressa do dia-a-dia, muita gente passa reto por confundir a máquina com uma daquelas de bebidas ou guloseimas. No fim das contas, o funcionamento é praticamente o mesmo: você insere a cédula, aperta o número correspondente ao título desejado e retira o livro na gaveta.

As máquinas, abastecidas duas vezes ao dia, não aceitam moedas, cartões (nada de querer dar truque com o bilhete único) e não dão troco, logo, o valor mínimo de cada exemplar é R$2,00. 

Os títulos são bem variados. Eu, como frequentadora assídua do metrô, já vi temas de autoajuda, clássicos da literatura nacional (esses de leitura obrigatória para o vestibular, sabe?), filosofia, infantil, informática, marketing e outros.

Achei uma ótima ideia para incentivar a leitura e, quem sabe, tornar o trajeto de ida ao trabalho e volta para casa mais agradável.

Beijo!

Foto: Divulgação

Meu nome é Bruna Barbosa e tenho 26 anos. Sou radialista por formação, redatora por profissão e caçadora de descontos e liquidações por vocação. A convite da Carol, dividirei aqui as melhores dicas e opções para provar que é possível fazer a moda caber no bolso!

2 comentários:

  1. Achei o máximo do 1º mundo! Só não fui comprar nenhum livro pq achei q fosse alguma pegadinha, sério kkkk.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gi, tb fiquei meio ressabiada quando vi pela primeira vez. Mas na próxima pode comprar sem medo que o Sergio Mallandro não vai aparecer gritando RÁ detrás da máquina!

      Excluir